Tyler Hadley deu uma festa de matar… Literalmente

Quando o estudante Tyler Hadley decidiu dar uma festa, ele planejou fazer uma que marcaria o ano. E apesar do fato de que ninguém nunca sequer tinha ouvido falar do garoto, o anfitrião da festa, muitas crianças entediadas do sul da Flórida foram dar uma conferida. Tyler Hadley estudava no colégio Port St. Lucie High e garantiu a todos que seus pais estavam fora da cidade.

Tyler Hadley e seu advogado / Tyler Hadley e Michael Mandell / Mary Jo e Blake Hadley
Fonte: Facebook

Durante a semana que antecedeu o evento, Tyler dizia aos seus amigos que iria dar uma festa – mas ninguém acreditou nele. Ele nunca tinha organizado nenhuma festa antes, e seus pais, Blake e Mary-Jo Hadley, estavam ficando cada vez mais rigorosos com ele depois de descobrirem que ele andava experimentando drogas.

Os seus pais nunca vão permitir.

Pareceria extremamente razoável que seus pais fossem mais protetores com seu filho adolescente, que não vinha se comportando bem. Os amigos de Tyler não achavam que a festa iria acontecer. Eles conheciam os pais do Tyler, e sabiam que era muito improvável que eles permitissem que um bando de crianças fossem à casa deles beber até cair.

Blake e Mary-Jo Hadley seguram seu filho em seus braços.
Fonte: Facebook

Mesmo que seus pais não tenham concordado, não é tão fora do normal adolescentes darem festas quando estes vão viajar. Mas, infelizmente, não foi isso que aconteceu. Quando os amigos de Tyler perguntaram se a festa ainda iria acontecer, ele sempre respondia: “Estou trabalhando nisso.”

Festa lá em casa

A maioria dos colegas achavam que a festa ia ser cancelada, e que seria apenas outra noite sossegada na Flórida. No entanto, o dia de 16 de julho de 201, estava longe de ser um dia calmo. Na verdade, foi provavelmente um dos dias mais chocantes que já aquela cidade americana já teve.

Uma captura de tela do post no Facebook que Tyler fez.
Fonte: Facebook

Às 11:25 da manhã daquele sábado, o amigo de Tyler, Antonio Ramirez, enviou uma mensagem para ele no Facebook. Eles estavam falando sobre seus planos para aquela noite, e Tyler afirmava que ele estava tentando dar uma festa na sua casa. Quando Antônio perguntou a Tyler se seus pais estavam em casa, ele respondeu que eles já estavam de saída.

A festa vai rolar!

Lá pelas 13:15, a festa estava quase confirmada. Tyler escreveu no Facebook: “Festa lá em casa hoje à noite… talvez”. E até esse momento, ninguém estava muito convencido. O “talvez” deixou todo mundo desconfiado. Mas, então, às 20:15, Tyler atualizou seu status no Facebook novamente. Desta vez ele escreveu: “Festa na minha casa hmu.” (Se você é velho como eu, hmu é uma abreviação para “hit me up”, que é basicamente um “vem de zap”).

Outro screenshot do post de Tyler no Facebook.
Fonte: Facebook

Seus amigos ainda estavam um pouco confusos, pois ainda achavam que os pais de Tyler eram bem severos. Ashley Haze comentou no post, escrevendo: “E se seus pais voltarem para casa?” A resposta de Tyler foi: “Eles não vão. Confie em mim”, o que já soou bastante macabro se olharmos o caso completo.

Vamos começar essa festa

A festa ia rolar. Quando Mike Young chegou com uns dez amigos, ela estava apenas começando. Mike era um dos garotos populares do 11º ano que só conhecia Tyler pelo rosto. Eles não eram realmente amigos, mas Tyler tinha um visual peculiar: ele era alto e magro, medindo 1,80 m e pesando 72 quilos.

Uma selfie de banheiro de Tyler Hadley
Fonte: Twitter

Na escola, Tyler era um garoto tímido. Ele não falava muito, mas ocasionalmente ele surtava na aula. Andava com maconheiros, delinquentes juvenis e viciados em comprimidos – o que não era o tipo de gente com que Mike andava.

Uma cidade chata

Era uma noite de verão tranquila, e não havia mais nada acontecendo em Port St. Lucie. Na verdade nunca havia acontecido nada naquela cidade, que fica a cerca de 60 km ao norte de West Palm Beach. Como uma garota do sul da Flórida, posso garantir que não há muito para adolescentes fazerem lá.

Dois adolescentes entediados estão sentados em um parque.
Foto por Alys Tomlinson/Getty Images

A área de Port St. Lucie tem como alvo pessoas mais velhas. Claro, você quer manter os filhos por perto, mas muitas pessoas vão para a Flórida para se aposentar.

Era basicamente uma casa de repouso

Tem meia dúzia de campos de golfe, pelo menos o dobro de asilos, sete funerárias, dois salões de bingo e um clube de bocha. A melhor parte de morar na Flórida é a praia, mas as crianças de Port St. Lucie nem sequer tem acesso a ela.

Um idoso está dirigindo carrinho de golfe ao nascer do sol.
Foto por nycshooter/Getty Images

Então, basicamente, não há lugar para estudantes do ensino médio se reunirem. Há apenas um fliperama gigante chamado Superplay USA, que se autodenomina como um playground familiar de última geração. Mas como você pode imaginar, isso fica chato e tedioso rapidamente.

A gente poderia muito bem dar uma olhadinha na festa

Além disso, o fliperama fecha à meia-noite. Até os parques em Port St. Lucie ficam fechados à noite. Sendo assim, todas os adolescentes da área foram dar uma olhada assim que souberam da festa. Depois de matar três horas no shopping em Stuart (cerca de 20 minutos de distância)…

Um grupo de amigos se divertindo em uma festa em uma casa.
Foto por Flashpop/Getty Images

Mike e seus amigos foram ao McDonald’s e acharam que poderiam passar na festa do Tyler. Quando foram, Tyler abriu a porta para eles usando uma camiseta preta, calças pretas, e tênis pretos da Nike Air Force.

Sem fumar na casa dos meus pais

Ele parecia um pouco ansioso. Bem, tão ansioso quanto você pode ficar após tomar ecstasy. Era óbvio que Tyler estava drogado. Suas pupilas estavam ampliadas, e ele ficava esfregando as mãos e apertando os punhos freneticamente.

Uma foto do anuário do colégio do Tyler.
Fonte: Tumblr

Tyler instruiu seus convidados que não queria ninguém fumando dentro da casa dos seus pais. Em pouco tempo já havia umas 60 crianças na casa, e a maioria delas não tinha ideia de quem Tyler era. Eles rapidamente se sentiram em casa e começaram a procurar comida na cozinha, e a beber como se não houvesse amanhã.

Pode quebrar a casa… Mas faça isso em silêncio

Os presentes jogavam suas latas de cerveja no gramado da frente. Honestamente, parecia uma festa normal do ensino médio. As crianças estavam se divertindo jogando beer pong na mesa da sala de jantar. Tinha garrafas de vidro quebrando no chão e cigarros sendo colocados no tapete, balcão e paredes.

A lata de cerveja está no chão fora da casa do Hadley.
Fonte: The New York Times

Mas Tyler ria. Na verdade, Tyler estava mais preocupado com o barulho do que com a destruição de sua casa. Ele estava preocupado que os vizinhos pudessem chamar a polícia.

Sinto cheiro de gente morta

De repente, fumar em casa não o incomodava. “Na verdade, apenas fiquem dentro de casa”, Tyler disse aos festeiros. E continuou: “Vocês podem fumar lá dentro. Eu não me importo.” Mike Young estava no sofá conversando com algumas garotas quando um skatista muito bêbado, que parecia um dos amigos de Tyler, foi até o segundo andar.

Um grande grupo de adolescentes em uma festa em casa.
Foto por Flashpop/Getty Images

O skatista bêbado disse aleatoriamente: “Sinto cheiro de pessoas mortas”, o que imediatamente chamou a atenção de Mike. Confuso, Mike perguntou o que ele queria dizer. O garoto respondeu dizendo: “Oh, eu não sei. Algumas pessoas estão fumando, deve ser isso.”

Aumentando o volume da música

Mike estranhou o comentário, mas achou que o garoto estava agindo assim porque estava muito bêbado. Então, o skatista se afastou. Um grande grupo de adolescentes se reuniu em torno da mesa da sala, que agora era uma mesa de beer pong.

Adolescentes estão dançando em uma festa em casa.
Foto por Flashpop/Getty Images

A mesa estava localizada ao lado do computador da família, onde as crianças se revezavam no YouTube, escolhendo músicas. Mike colocou “No Sleep” de Wiz Khalifa, e algumas músicas da mixtape de Lil Wayne, como “Tunechi ‘s Back” e “Racks”.

As piadas de “Tyler Matou seus Pais”

A área do computador era mais suja que o resto da casa. O teclado branco estava coberto de líquido marrom, pegajoso e seco. Talvez Coca-Cola, mas provavelmente álcool. Ninguém olhou de perto o suficiente para dizer com certeza.

A bagunça encontrada na Casa dos Hadley.
Fonte: Reddit

José Erazo foi outro adolescente que apareceu na festa. O rapaz de 17 anos de idade com cabelos pretos lisos, estava jogando um jogo de beer pong quando ouviu alguém dizer: “Oh, ele [Tyler] deve ter matado seus pais.” Todos riram.

Hora do Beer Pong!

Os presentes apenas presumiram que era algum tipo de piada. José, no fim, ganhou 15 jogos de beer pong seguidos! Mas com o passar da noite, as pessoas perguntavam onde os pais do Tyler realmente estavam. E as respostas eram sempre diferentes. Tyler disse a Mark Andrews que “eles tinham ido para a Geórgia.”

A mesa de beer pong foi montada na casa dos Hadley.
Fonte: ABC News

Mas também disse a Ryan Stonesifer que “eles estavam em Orlando” e disse a Richard Wouters que eles nem sequer viviam lá e “esta é a minha casa”. Mark Andrews era um jovem de 21 anos, que conheceu Tyler quando a família de Mark se mudou para Port St. Lucie, 11 anos antes.

Todos brigam com seus pais

Tyler era o melhor amigo dos irmãos mais novos de Mark, e as famílias viviam em ruas bem próximas umas das outras. Tyler apareceu uma vez na casa de Andrew quando tinha 10 anos, depois de brigar com a mãe.

Alt Uma foto de Blake e Mary-Jo Hadley.

Fonte: Pinterest

Ele anunciou então que mataria seus pais. Mark explicou a Tyler que todas as crianças irritam seus pais de vez em quando, o que ajudou a acalmar Tyler. Os meninos riram da situação, por acharem que aquele era apenas um pensamento momentâneo.

Ele parecia bem…

Isso não era algo que Tyler era, de fato, capaz de fazer. Markey Phillips, um dos amigos de Tyler, não pôde ir à festa porque estava em Chicago visitando seus avós naquele fim de semana.

Alt Uma foto de Tyler Hadley.

Fonte: Reddit

No entanto, ele e Tyler saíram duas noites antes, e ficaram assistindo televisão e jogando videogame na casa de Markey. De acordo com Markey, Tyler “parecia muito bem”, naquela noite. Mas ele também notou algo quando eles saíram duas semanas antes. Tyler tinha dito algo no meio da conversa…

Festejando com os corpos

Ele disse que: “Queria matar os pais e fazer uma grande festa depois.” Tyler explicou como ninguém nunca fez algo assim: dar uma festa enorme enquanto os corpos dos seus pais ainda estivessem na casa.

Tyler posa com sua mãe, pai e uma cobra gigante.
Fonte: Facebook

Markey disse a Tyler, então, que o que ele falou era uma loucura. Mas ainda pensou que Tyler estava brincando. Aquilo tinha soado como uma piada muito doentia. É difícil imaginar alguém matando seus pais, ainda mais se a pessoa for seu amigo e colega de classe. Então, naturalmente, ninguém levou Tyler a sério quando ele falou que faria isso.

Tyler é punido

Em 2 de julho de 2011 (duas semanas antes da festa) Tyler falou com sua amiga Mercedes Maxine Marko, através de um bate-papo no Facebook. Explicando que sua mãe tinha confiscado seu celular. Ele então disse: “Ela é uma vadia, eu talvez mate ela.”

Tyler posa com sua mãe, pai e uma cobra gigante.
Foto por Juanmonino/Getty Images

Mercedes, presumindo que ele estava brincando, respondeu com: “OMG, sem prisão!!! Rsrsrs.” O “LOL” no final da frase prova que a mente da Mercedes nem sequer cogitou que podia ser verdade. Ela não suspeitava que ele poderia estar falando sério.

Uma piada doentia tornou-se realidade

Naquele fim de semana, Tyler também falou a mesma coisa para Matthew Nobile, um colega de classe na Escola Port St. Lucie. Por volta das 9:40 da manhã, no dia da festa, Matt perguntou a Tyler se ele tinha feito o ato, a que ele respondeu: “não, mas eu irei.”

Tyler posa com sua mãe, pai e uma cobra gigante.
Fonte: Facebook

A resposta incriminadora de Matt foi um: “É sério? Você realmente deveria fazer isso”, seguido de uma mensagem dizendo “Faça isso!”. Tyler garantiu ao amigo que iria cometer o crime. Tyler também disse a Matt para não se preocupar.

Uma Festa de Matar

Ele planejava matar os pais, e então, decidiu dar uma festa. Eu gostaria de pensar que Matt também achou que isso era uma piada doentia. Talvez ele estivesse dando um pouco de corda, mas, provavelmente, foi porque ele não achava que Tyler de fato mataria os próprios pais.

Tyler posa com sua mãe, pai e uma cobra gigante.
Fonte: St. Lucie Police

De qualquer forma, Matt estava animado para aquela noite e respondeu com: “Sim, hora da festa meu mano!” Nem preciso dizer que Port St. Lucie não foi feita para adolescentes. Na verdade, a cidade é literalmente nomeada em homenagem a pessoas com problemas oculares.

Uma Cidade de Idosos

A cidade foi criada por Frank, Elliot e Robert Mackle, três irmãos que estavam tentando lucrar com a migração maciça de aposentados para o sul da Flórida. Em 1961, os Mackles compraram 40.000 acres de pântano e florestas de pinheiros, cerca de 160 km ao norte de Miami.

Frank, Elliot e Robert Mackle se sentam para uma reunião com uma mulher mais velha.
Fonte: Pinterest

Eles subdividiram a terra em parcelas de 24 por 38 metros, e então compraram páginas completas de anúncios na Life e Newsweek, prometendo o prazer do “sonho da Flórida”. O anúncio incluía uma fotografia de uma jovem bonita.

O Sonho da Aposentadoria

Ela tinha cabelo loiro e estava segurando uma enorme bola de praia em seus braços, parada sob uma palmeira. Havia também um homem grisalho com duas mulheres bonitas dirigindo uma lancha. Na capa, estava escrito: “cheio de diversão, cheio de sol… Casas da Era Espacial.”

Uma placa de boas-vindas numa cidade da Flórida.
Fonte: Pinterest

É claro que as fotos eram todas parte de uma fantasia – considerando que a terra que eles compraram ainda era um pântano. Ao menos o preço era convincente: você poderia comprar uma casa em Port St. Lucie por apenas $10 pagos na hora, e mais $10, pagos por mês. Um valor muito mais barato do que as outras comunidades de retiro, na costa americana.

Ensolarado e acessível

Embora você tenha que continuar pagando pelo resto da vida, $10 por mês é muito mais do que só “acessível”. A população de Port St. Lucie aumentou, e em 1980 tinha crescido para 15.000 moradores, e a cidade começou a se espalhar para o interior, e ultrapassar a I-95, à 15 quilômetros da costa.

Alt Um shopping center em Port St. Lucie.

Foto por Jeffrey Greenberg/Universal Images Group/Getty Images

No auge do boom imobiliário, em 2006, a população de Port St. Lucie atingiu mais de 150.000 pessoas, tornando-se a cidade que mais cresceu nos Estados Unidos na época.

Uma população crescente

As estradas do subúrbio foram construídas tão rapidamente que ninguém se preocupou em ter certeza de que os nomes das ruas fossem escritos da forma correta. Se você passar pela cidade hoje, passará pela Galaxie Street, Voltair Terrace, Hershy Circle, Twylite Terrace.

Uma vista aérea de Port St. Lucie.
Fonte: Reddit

Os nomes foram destinados a dar um brilho, uma grandeza sofisticada ao antigo pântano. “Grandeza” era na verdade o nome da rua de Tyler, e onde a família Hadley morava desde 1987. Blake e Mary Jo Hadley mudaram-se de Fort Lauderdale para Port St. Lucie 24 anos antes.

A mudança dos Hadley’s

Eles se mudaram para que pudessem ficar mais perto dos pais de Blake, que era aposentado e vivia na cidade vizinha, Stuart. Port St. Lucie foi surpreendida pela queda imobiliária, mas os pais de Tyler tinham empregos à prova de recessão.

Um retrato de família dos Hadley 's, em seu quintal.
Fonte: Reddit

Blake trabalhou como engenheiro na Usina Nuclear de St. Lucie por três décadas. Já Mary Jo era uma adorada professora do ensino fundamental. “Não importa quem você fosse: mesmo que ela te odiasse, nunca desistiria de você”, disse Cameron Adams, um dos amigos de Tyler e ex-aluno de Mary Jo.

Uma cidade de maconheiros

Durante os anos de escola de Tyler, Port St. Lucie era conhecida por duas coisas: o fato de que os New York Mets costumavam realizar seu treinamento de primavera lá, e a maconha. Durante o boom imobiliário, traficantes de Miami começaram a comprar casas vazias lá.

Maconha sendo cultivada dentro de uma casa.
Foto por Ben McLeod/Getty Images

Elas eram geralmente vendida a um preço baixíssimo – algo em torno de $50.000. Os traficantes então davam uma enfeitada com luzes LED e sistemas hidropônicos no seu novo cantinho. Fumar maconha em Port St. Lucie se tornou algo tão comum, que a cidade ganhou um novo apelido: “Pot St. Lucie” (Pot é uma gíria para a planta da maconha). Em 2006, uma investigação começou…

A maconha está em toda parte

A investigação foi realizada por agências policiais locais e federais. Eles acabaram encontrando pelo menos 69 fazendas de maconha na cidade, mas, mesmo assim, o fenômeno persistiu. “Eles ainda estão por aí”, de acordo com Joseph Waddle, recém-formado pela St. Lucie West Centennial High School.

Um policial escolta um adolescente algemado até seu carro de patrulha.
Foto por Doug Menuez/Getty Images

“A maconha está fora de controle. Está em todo lugar. Você não pode ir a uma festa sem sentir o cheiro dela no ar”. À medida que a população de Port St. Lucie aumentava, a idade média da população também crescia. Mais de um terço dos moradores da cidade tinha, então, menos de 24 anos.

Tédio + Maconha = ?

Adolescentes do ensino médio reclamavam constantemente de não ter nada para fazer na vidade. Infelizmente, não é incomum que adolescentes entediados passem o tempo fumando maconha. Joseph Waddle explicou que “toda a mentalidade de Lucie é que é a cidade é tão chata, que então só resta não fazer nada, além de dar festas.”

Um adolescente olhando pela janela do quarto.
Foto por Richard Drury/Getty Images

Terry Nguyen, um veterano do colégio e um dos amigos de Tyler, disse: “Em outras cidades, há lugares onde os adolescentes podem sair, mas não em Port St. Lucie.”

Nada para fazer

Anthony Snook, um jovem de 20 anos com um bigode irônico, também achava aquela cidade chata. Enquanto comprava um novo cachimbo de vidro, na Avenida da Paz 420, ele disse que o tédio “Deixava as crianças loucas”.

Um adolescente chutando lixo pela cidade.
Foto por Kelly Loughlin Photography/Getty Images

E os pais estão sempre no pé de todo mundo, porque todos estão estressados com dinheiro. Para uma cidade sem bairros violentos, há um número surpreendente de crimes em Port St. Lucie, e a maioria deles foram cometidos por jovens entediados.

Adolescentes entediados

Meses depois da infame festa de Tyler, um jovem de 19 anos e um de 16 anos foram presos por terem relações inapropriadas com pelo menos um (e talvez dois) adolescentes de 14 anos. Em seguida, um jovem de 18 e outro de 16 anos foram presos depois de invadir uma casa e atirar em um casal, durante um assalto.

Adolescentes pintando grafites em uma parede.
Foto por Nancy Honey/Getty Images

Um grupo de jovens de 14 anos vandalizou uma casa causando mais de $10.000 em prejuízos. E, se isso não bastasse, outro de 14 anos foi encontrado passeando pelas ruas com um ferimento misterioso na cabeça. Ele só usava cuecas.

Hobbies criminosos

Alguns ladrões adolescentes, carregando skates, filmaram a si mesmos saqueando lojas da rede de supermercados da cidade. Eles pulavam por cima de uma pilha de latas Pringles, e andavam de skate em enormes pilhas de toalhas de papel no K-Mart.

Dois adolescentes estão tentando roubar coisas de uma garotinha.
Foto por Chris Whitehead/Getty Images

Eles correram pelos corredores do Target com os braços estendidos como se estivessem se preparando para uma maratona, e limparam as prateleiras de travesseiros, pão e ração para cães. Você podia vê-los rindo histericamente nas imagens da câmera de vigilância. Isso é o que acontece quando um bando de adolescentes, sem um lobo frontal totalmente desenvolvido, tem muito tempo em suas mãos.

Delinquência juvenil na sua melhor versão

O tédio pode realmente deixar uma pessoa louca, e é por isso que eu acredito fortemente que é importante para as crianças terem hobbies. “Eles estão realmente fazendo essas coisas sem levar em conta a sociedade, regras ou regulamentos”, de acordo com o psicoterapeuta local Fran Sherman, que viu o vídeo.

A polícia algema um adolescente.
Foto por pkline/Getty Images

“Eles estão pegando gosto por torturar pessoas e coisas.” À meia-noite, havia cem pessoas e dois cães na residência dos Hadley. Um Labrador preto chamado Sophie e um beagle velho (meio-surdo e meio-cego).

Tantas pessoas (e cães)

Sophie estava desaparecida, e o beagle estava escondido no quarto do irmão mais velho de Tyler, Ryan. Ryan tinha acabado de se mudar para a Carolina do Norte para fazer faculdade, seis semanas antes. A festa só durou algumas horas, mas parecia que alguns ladrões tinham saqueado a casa.

Uma vista da bagunça deixada para trás na casa do Hadley.
Fonte: ABC News

Roupas e lençóis estavam por todo o lugar, a armação da cama estava rachada, e o beagle estava tremendo debaixo da cama. Nesse momento, Stephanie Castaneda apareceu na festa com seu amigo Joshua Korte.

Ele sempre age dessa forma estranha

Ela não conhecia muito bem Tyler, mas tinha uma quedinha por ele. Ele estava ali, parado, ao lado do computador da mãe, conversando com alguns amigos. Stephanie foi ao banheiro, onde encontrou um beagle escondido no chuveiro.

Adolescentes bebendo em uma festa em alguma casa.
Foto por sturti/Getty Images

William Goodall conhecia Tyler desde a sexta série, mas eles se separaram no primeiro ano do ensino médio de Tyler – quando ele começou a fumar maconha. Ele não sabia se Tyler estava agindo de uma forma particularmente estranha, porque, na verdade, ele sempre agiu assim.

Precisa-se de mais cerveja

Por volta das 00:30, a festa estava ficando sem álcool. Tyler perguntou a Mark Andrews e sua namorada Ashley Gershman se poderiam ir ao posto de gasolina, a apenas um quarteirão de distância. Tyler deu um maço de notas de 20 dólares a Mark, que tinha 21 anos, e pediu para ele pegar quatro caixas de Busch Light.

Um jovem carregando muitas latas de cerveja no supermercado.
Foto por Peter Cade/Getty Images

Enquanto esperavam por Mark no carro, Tyler disse a Ashley que seu pai tinha morrido. Ashley, que não sabia nada sobre Tyler, presumiu que seu pai havia falecido já há algum tempo.

Beer pong com água!

Eles voltaram para a festa quando os outros estavam brincando de “água pong” – vez que tinham ficado sem cerveja. Uma forma genial de acabar com uma noite de bebedeira. Um garoto andava por aí vendendo pílulas por um dólar cada, e outro garoto vendia maconha.

Uma moça recebendo convidados em uma festa em sua casa.
Foto por ferrantraite/Getty Images

Às 00:45 da manhã, Anthony Snook apareceu. Alguém havia mandado uma mensagem para ele dizendo que a festa de Tyler era a “maior festa de todos os tempos”. Ele agradeceu a Tyler por dar uma festa tão divertida, e perguntou-lhe como ele estava.

Tyler parece calmo… Muito calmo…

Tyler respondeu que ele estava bem, em um tom calmo de voz. Mas Snook sabia que tinha algo errado. Ele conhecia Tyler como um garoto introvertido que ria de suas próprias piadas e evitava contato visual. Mas naquela noite, apesar de todo o caos, Tyler parecia perfeitamente calmo.

Tyler de olhos fechados.
Fonte: Facebook

Então, um garoto tirou a camisa, saiu correndo de casa gritando, e voltou segurando uma caixa de correio sobre sua cabeça. Tyler perguntou ao garoto de onde diabos ele conseguiu uma caixa de correio.

O ladrão de caixas de correio

O garoto gritou: “Tirei do gramado do vizinho!”, e começou a correr ao redor da sala de estar com aquela caixa, batendo nas garrafas de cerveja espalhadas pelo chão. Foi quando Tyler começou a perder a calma.

A bagunça que foi deixada na cozinha do Hadley depois da festa.
Fonte: Twitter

Depois de fazer de sua casa um lugar livre para todos, Tyler finalmente começou a ficar bravo e gritou sobre como roubar uma caixa de correio era um crime e que os policiais iam aparecer. Alguém rapidamente pegou a caixa de correio e a devolveu para a rua.

Algo mais sombrio estava acontecendo lá dentro…

Foi quando Snook notou algo estranho. A porta do quarto principal estava fechada. Snook presumiu que as pessoas estavam ficando chapadas lá dentro – atividade que ele gostaria de participar junto. Mas a porta estava trancada. Apesar da casa estar muito escuro, podia-se ver uma mancha preta debaixo da porta.

Uma mão tentando abrir a maçaneta de uma porta.
Foto por Basak Gurbuz Derman/Getty Images

A mancha talvez tivesse um metro de comprimento, e parecia, na verdade, uma mancha de tinta à base de óleo, que alguém tentou limpar sem sucesso. Justin Wright, um jogador de futebol da escola, chegou à festa às 1:15.

Ele vai ficar de castigo!

Assim que ele chegou, imediatamente notou um odor no ar. O aroma era de roupas suadas que não eram lavadas há algum tempo. Todo o lugar estava destruído. O chão estava nojento, e faltavam algumas molduras da parede.

Itens foram jogados ao redor do quarto principal, incluindo uma foto emoldurada dos pais de Tyler.
Fonte: ABC News

Os pratos acumulados na cozinha foram manchados com restos de macarrão instantâneo. Não é o tipo de condição que qualquer pai gostaria de voltar para casa, mas Tyler, definitivamente, não estava preocupado com sua mãe ou seu pai.

Ninguém notou o sangue

Justin perguntou a Tyler se havia alguma regra a ser seguida na casa (porque, aparentemente, não parecia ter nenhuma). Tyler respondeu para fazer o que quisessem. Então, Justin foi jogar um jogo de beer pong, e a bola quicou no chão e rolou por baixo da mesa, onde ficou presa a uma substância marrom e grossa.

Uma vista da casa de Hadley, destruída após a festa.
Fonte: Polícia de Port St. Lucie

Ele lavou a bola na pia da cozinha e continuou o jogo. Quando Mark Andrews estava saindo, Tyler perguntou se ele poderia falar com ele sozinho.

Cara, eu fiz umas coisas aí…

Tyler saiu e disse a todas as pessoas do quintal para voltarem para dentro da casa, ainda apavorado, com medo de que os vizinhos chamassem a polícia. Depois que todos estavam lá dentro, Tyler virou-se para Mark e disse: “Cara, eu fiz umas coisas aí…”

Um copo de plástico esmagado é deixado na grama depois de uma festa.
Foto por Jeremy Hogan/Getty Images

“Eu posso ir para a prisão. Eu posso ficar lá para sempre. Eu não sei, cara. Estou surtando.” Mark estava confuso e perguntou a Tyler o que ele havia feito para acabar na prisão. Foi quando Tyler finalmente abriu o jogo.

Que festa incrível, cara

“Cara, eu sei que você não vai acreditar em mim. Ninguém vai acreditar em mim. Eu matei alguém”, confessou Tyler. Mark não queria fazer parte disso, e respondeu: “Cara, você matar alguém é da sua conta. Não me diga esse tipo de coisa. Eu não preciso saber.”

Jovens participam de uma festa de arromba
Foto por Flashpop/Getty Images

Mark ficou perplexo, e não acreditou totalmente em Tyler. Este voltou para casa e encontrou Ricardo Acevedo, de 18 anos. Ele agradeceu ao Tyler por sua hospitalidade e pela cerveja.

Festa de despedida?

A resposta arrepiante do Tyler foi: “Eu só queria fazer algo divertido antes de ir embora.” Ricardo perguntou a Tyler para onde ele estava indo, ao que ele respondeu: “Eu vou me matar.” Quando Ricardo lhe perguntou por que, Tyler disse que tinha feito algo muito ruim. Mas quão ruim isso poderia realmente ser?

Um close de Tyler olhando fixamente para a câmera.
Fonte: CBS News

“Não se preocupe”, disse Tyler a Ricardo, “se eu for pego, ficarei na cadeia por muito tempo.” Tyler, então, encontrou Kimberly Thieben em seu quarto – uma gordinha de cabelos escuros e 20 anos de idade. Seu apelido era “K-Nasty”.

Você vai me ver no noticiário

Ela era muito próxima do Tyler, e morava a duas casas de distância dele. Ele disse a Kimberly que ia ficar fora por 60 anos. Quando ela lhe perguntou por que, ele lhe disse que ela descobriria amanhã.

Michael Mandell dando uma entrevista na TV.
Michael Mandell. Fonte: ABC News

Por volta da 1:00 da manhã, Tyler perguntou ao seu amigo Michael Mandell se ele poderia falar com ele a sós, lá fora. Michael era o melhor amigo de Tyler desde os oito anos de idade, e eles estavam sempre juntos. Eles ficaram juntos durante a maior parte da festa.

Basta olhar para todos os sinais

Tyler chegou para falar com Michael enquanto ele falava com outros amigos. Ele imediatamente saiu para falar com Tyler. Eles caminharam até o fim do quarteirão, onde havia um sinal de pare. Tyler olhou para Michael e confessou: “Matei meus pais.”

Foto por Medioimages/Photodisc/Getty Images

A resposta imediata de Michael foi: “Sim, beleza.” Ele não acreditou no amigo. Tyler tentou explicar ao Michael que ele estava dizendo a verdade: “Michael, eu tô falando sério. Não estou mentindo para você. Se você olhar atentamente, você pode ver os sinais.”

É o Meu Partido…

Foi quando ele disse a Michael para olhar para a entrada da casa. Michael notou dois carros: a caminhonete Toyota Tacoma preta do pai de Tyler, ea Ford Expedition vermelha de sua mãe. Se os pais do Tyler estavam fora da cidade, por que os carros deles ainda estariam lá?

Uma casa com dois carros estacionados na garagem.
Foto por Richard Newstead/Getty Images

Michael ainda não conseguiu captar o que estava ouvindo. Então, Tyler disse para ele olhar para a garagem. Depois de ter certeza de que ninguém estava vendo, Michael entrou na garagem e acendeu a luz. Ele viu um espetáculo de horrores, uma cena sangrenta – e logo saiu correndo imediatamente.

Eu vou matar se eu quiser

Tyler foi atrás de Michael e o levou para o quarto principal, onde havia vestígios de sangue na porta. Tyler abriu a porta e Michael ficou ainda mais chocado.

A bagunça que foi encontrada no quarto principal dos Hadley.
Fonte: Rolling Stone

Ele viu cadeiras de jantar e toalhas encharcadas de sangue, todas empilhadas. Saindo de dentro da pilha, havia uma perna bem branca. Tyler contou a Michael o que tinha acontecido. Perto das cinco da tarde, Tyler guardou os celulares dos pais para eles não terem como pedir socorro.

Os preparativos

Àquela hora, Tyler botou a música “Feel Lucky”, de Lil Boosie, para se animar. Ele então tomou três comprimidos de ecstasy porque estava preocupado que não seria capaz de matar seus pais se estivesse “sóbrio”. Tyler encontrou um martelo na garagem e depois voltou para casa.

Uma foto de Mary Jo Hadley.
Fonte: Facebook

Enquanto sua mãe trabalhava no computador da família, ele ficou atrás dela por cinco minutos, pensando no que ele estava prestes a fazer. Sem remorso, então, ele o fez…

A confissão arrepiante

Ele levantou a ponta da garra do martelo e bateu na cabeça da mãe. Ela ficava gritando: “Porquê?” Quando Blake ouviu o pedido de ajuda de sua esposa, ele correu, vindo do quarto principal. O pai de 1,80m era um homem grande.

Blake Hadley está sentado em uma cadeira reclinável em casa.
Fonte: Facebook

Mas nada o preparou para o que ele viu. O pai e o filho fizeram breve contato visual e ele gritou: “Por quê?!”. Tyler retrucou: “Por que diabos não?”. E ele continuava repetindo isso enquanto espancava seu pai até a morte com a parte da garra do martelo.

Um ato horrendo

Tyler simulou o movimento do martelo para que Michael entendesse. Tyler, então, disse que assim que acabou de realizar seu ato horrendo, ele enrolou cobertores na cabeça dos pais e arrastou seus corpos para o quarto principal. Os corpos estavam deitados lado a lado.

O martelo foi encontrado na cena do crime.
Fonte: Reddit

O martelo ainda estava no chão, entre os corpos. Ele levou cerca de três horas para limpar a cena – muito mais do que esperava. Ele reuniu todas as evidências incriminadoras e as jogou no quarto. Os corpos foram escondidos embaixo dos pratos quebrados.

Escondendo os corpos

Eles foram enterrados sob vidro quebrado, toalhas ensanguentadas, livros, uma mesa de café, lenços clorox, um esfregão de esponja e borra de café. Tyler tomou banho, e o que ele fez depois disso é incrivelmente estranho: dizem os boatos que ele olhou para o seu reflexo no espelho e riu.

A foto dos pais de Tyler.
Fonte: Facebook

Um dos amigos de Tyler, Max Mazer, estava no corredor do lado de fora do quarto principal quando viu Michael correndo para fora da porta assustado. Max disse que Michael parecia louco e “estava olhando por cima dos ombros.”

Mas primeiro… uma Selfie

No entanto, Michael não saiu da festa. Na verdade, ele ficou por mais 45 minutos tirando selfies com Tyler. Em uma das fotos, que parece ter sido tirada na garagem, Michael tem uma expressão severa e desafiadora em seu rosto, e Tyler segura um copo laranja.

Uma selfie de Tyler e Michael Mandell.
Fonte: Facebook

Seus olhos frios pareciam estar cheios de dor, medo e horror. Era 2:00 da madrugada, e logo um dos convidados anunciaria que havia outra festa acontecendo na casa do vizinho de Mike Young.

Preocupado com a polícia

As crianças correram para fora, jogaram suas bebidas na grama, e entraram em seus carros. Tyler correu atrás deles. Joshua Korte entrou no carro quando alguém bateu à janela. Foi Tyler. Ele estava gritando e perguntando para onde todos estavam indo.

Adolescentes dançando durante uma festa em uma casa.
Fonte: Pinterest

Josh explicou que eles estavam indo para uma festa diferente. “Oh”, disse Tyler, aliviado. Josh descreveu a expressão de Tyler como “um rosto pálido”. Como se ele não tivesse mais expressão. Ao fim, quatorze carros saíram do bairro de Tyler.

De volta à festa

Eles foram pela Prima Vista até Bayshore, com o som de Wiz Khalifa martelando as janelas do carro. Eles finalmente chegaram ao destino, mas a casa estava escura e silenciosa. Uma menina saiu de pijama dizendo que ela não estava dando uma festa – que tudo não passava de um mero boato.

Garotas festejando na parte de trás de um carro conversível.
Foto por StefaNikolic/Getty Images

O movimento de todos esses carros no meio da noite foi demais para o vizinho de Tyler. Raeann Wallace morava ao lado e conhecia Tyler desde que ele nasceu.

Tyler era um garoto doce

Ela gostava muito dos Hadley, e não tinha problema nenhum com o Tyler. “Ele parecia um garoto feliz”, disse Wallace. “Muito respeitoso, educado.” Ele gostava de andar de skate, de bicicleta, e jogar futebol na rua.

Tyler, ainda jovem, vestido de escoteiro.
Fonte: ABC News

Uma vez ela pediu ao Tyler para não jogar a bola muito perto do carro dela, e ele respondeu com um “Sim, senhora”. Sempre que ela e o marido saíam da cidade no fim de semana, ela dava ao Tyler um dinheirinho extra para ele cuidar da casa deles.

Um bom garoto que virou assassino

Tyler parecia ser relativamente próximo dos seus pais. Quando criança, ele ficava acordado até tarde esperando seu pai chegar em casa (passado o turno da noite na usina onde trabalhava), e os dois jogavam basquete na garagem até a meia-noite.

Fotos da carteira de motorista de ALT Blake e Mary-Jo.
Fonte: YouTube

Wallace disse que sempre ouvia os Hadleys rindo e brincando na piscina nos fins de semana. Mas quando Tyler entrou no ensino médio, a residência dos Hadley ficou muito mais silenciosa. Tyler sempre foi muito quieto e difícil de interpretar.

O palhaço da turma

Mas, agora, ele havia se tornado uma garoto excêntrico, imprevisível e perturbado. “Ele tinha uma personalidade bizarra”, disse Cameron Adams. “Realmente agitado. Ele estava sempre tentando atrair atenção. No meio da aula, ele começava a rir do nada.”

O pequeno Tyler Hadley posa com seu bolo de aniversário.
Tyler Hadley. Fonte: ABC News

Uma vez ele começou a mugir como uma vaca no meio da aula de biologia. DeeDee Maynard, outra vizinha, não permitia que seu filho brincasse com Tyler desde que ela se deparou com o adolescente fumando no River Park Wildlife, que ficava ali por perto, com alguns outros delinquentes do bairro.

O comportamento preocupante de Tyler

Ela estava preocupada com a saúde dele ou com um possível incêndio florestal. Então ela contou o ocorrido à mãe de Tyler. Mary Jo não pareceu preocupada: “Meu filho não fuma”, disse Mary Jo. Mesmo quando Maynard disse que literalmente o viu fumando, ela não quis acreditar.

Um adolescente de gorro anda pela rua.
Foto por cristinairanzo/Getty Images

Tyler acabou causando um incêncio em River Park, duas semanas depois. Ele e alguns outros garotos arrastaram um sofá abandonado para a clareira, derramaram gasolina nele e acenderam um fósforo.

Ele claramente tem problemas…

Os bombeiros tiveram que ser chamados, mas os adolescentes saíram apenas com uma advertência. Parece que os Hadley perderam o controle do filho mais novo: “Foi um incêndio de tamanho significativo”, disse a vizinha Donna Montero.

Uma floresta queimada após um incêndio florestal.
Foto por Robayna/Europa Press/Getty Images

“Eu acho que não há mais nada para falar aqui. Eu pensava que esse garoto era do tipo que machucava animais por diversão. Mas eu certamente nunca tive a sensação de que ele seria capaz de matar alguém. Muito menos seus pais.”

Uma semana na prisão não foi suficiente

No final de abril, cerca de dez semanas antes de sua festa, Tyler entrou em uma briga e foi preso por agressão. Como tinha antecedentes juvenis (antes, Tyler já havia sido condenado por roubo) foi sentenciado a uma semana de prisão, e duas semanas de prisão domiciliar.

Policiais escoltam um adolescente algemado.
Foto por filo/Getty Images

Não é surpreendente que Mary Jo tirou o celular de Tyler. Mas ficar sem celular não o incomodou.

Uma festa para ficar na lembrança

Ele estava louco pelo telefone, mas ainda era capaz de se comunicar com seus amigos através do Facebook. Depois de curtir a festa por um pouco mais de tempo, Michael finalmente fez a coisa certa e chamou a polícia. Ele explicou que tirou a selfie com Tyler como lembrança, pois sabia que provavelmente era a última vez que ele iria vê-lo fora da prisão.

Tyler Hadley e seu advogado no tribunal.
Fonte: Tumblr

Em 2014, Tyler Hadley foi condenado e sentenciado. Com múltiplas acusações em seu histórico juvenil, Hadley foi condenado à prisão, com a possibilidade de liberdade condicional. Ele está atualmente cumprindo sua pena na Okeechobee Correctional Institution em Okeechobee, Flórida.